Sobre cronometragem

A tecnologia de cronometragem evoluiu muito nos últimos tempos, fica até difícil imaginar uma corrida de rua ou mountain bike sem a presença dos chips de cronometragem. É através deles que os competidores em geral têm suas marcas nas provas registradas pela organização e assim têm conhecimento de quanto tempo levaram para concluir o percurso.

A tecnologia atual de chip, utilizada pelos organizadores dos eventos, só chegou no Brasil em meados dos anos 90, e revolucionou as corridas de rua, que a cada ano que passa recebem mais atletas.

A sigla RFID, que é uma tecnologia de identificação automática de dados. O tipo de identificação mais utilizado é através do armazenamento de código de identificação em um microchip que irá arremeter às informações de uma pessoa em sistema computacional. Portanto para o seu funcionamento é necessário que um chip passe um dispositivo onde os dados serão interpretados e analisados pelo computador
Sobre tudo, que é possível combinar a ferramenta RFID e o gerenciamento de uma competição no desenvolvimento de um sistema de controle eficaz e com baixo custo, o que  melhoraria o nível das competições menores.

Como funciona em provas?

Quando o atleta se inscreve para uma prova, recebe as informações sobre a entrega de seu chip. Normalmente ela acontece na véspera do evento, para que possa pegar o dispositivo e prendê-lo no seu tênis no dia do evento.
Cada chip possui um número de registro único, que é acionado quando o atleta passa pelo posto de controle de corrida, que é onde ficam os tapetes de leitura. Quando o corredor pisa no tapete com seu chip no tênis, imediatamente os computadores da prova recebem as informações do atleta, que foram previamente cadastradas.

O chip é individual e único, e a cada corrida o atleta inscrito recebe o seu que pode ser descartável ou não, devendo devolvê-lo à organização assim que cruzar a linha de chegada (geralmente chips descartáveis são usados em provas de mountain bike)

 

Tempo líquido ou bruto?

Se você já participou de alguma corrida que dispunha da tecnologia dos chips já deve ter visto, quando foi procurar seu tempo final no site da organização, dois tempos diferentes, que algumas vezes diferem também do tempo que você marcou no seu relógio. Esses são os tempos “líquido” e “bruto”. Entenda a diferença entre eles.

Tempo bruto: marca com quanto tempo de prova o atleta completou o percurso, ou seja, desde a hora que soa a sirene de largada, esse tempo já está valendo. Como, geralmente, os corredores amadores demoram alguns segundos, ou até minutos, para passar pela largada, esse não é o seu tempo real.

Tempo líquido: esse é o cronometrado pelo chip, desde o momento que o corredor passa pelo tapete localizado na largada, até o momento que cruza a linha de chegada. É exatamente o tempo que o atleta levou para completar o percurso. Se esse número não bate com o do seu relógio, provavelmente você disparou o seu cronômetro com atraso ou adiantado, pois o chip é a forma mais precisa de marcar o tempo de um corredor.


 

 

Clique no botão "Inscreva-se" e entre no sistema seguro para realizar sua inscrição.

 

PALMÁCIA TRAIL RUN DESAFIO VERTICAL:
KIT BASICO: R$ 65,00
TAXA DE SERVIÇO R$ 6,50
3º LOTE SOMENTE SEM CAMISAS.

 

2º MANGABEIRA RUNNING:
KIT DE CORRIDA: R$ 30,00
TAXA DE SERVIÇO R$ 5,00

 

2º CORRIDA FAMETRO:
KIT DE CORRIDA: R$ 60,00
TAXA DE SERVIÇO R$ 6,00

 

I CORRIDA RUNLLOWEEN:
KIT BASICO: R$ 50,00
KIT COMPLETO: R$ 65,00
TAXA DE SERVIÇO R$ 5,50

 

1º CASCATRAIL CROSSRUN:
KIT BASICO: R$ 50,00
KIT MASTER: R$ 65,00
TAXA DE SERVIÇO R$ 6,50